Projetos Concluídos

A relação trabalho e educação na formação de professores, nas políticas públicas e no trabalho pedagógico das escolas do campo. Adriana D’Agostini, Coordenadora (2011-2013).

Resumo: O presente projeto está estruturado em forma de pesquisa matricial e tem como objeto de estudo o trabalho pedagógico na formação de professores e na atuação profissional. Objetiva analisar, problematizar, teorizar e sistematizar a formação de professores e a atuação profissional, indicando como problemáticas significativas: as relações entre trabalho e educação presentes na formação de professores, na organização do trabalho pedagógico. A partir dos fundamentos do materialismo histórico dialético as problemáticas serão investigadas a depender da necessidade e da exigência do problema científico específico da matriz de problemáticas significativas. Os estudos específicos serão realizados com auxílio da pesquisa bibliográfica, documental e de campo. Os resultados atingidos serão publicados e socializados em relatórios, artigos científicos, trabalhos de iniciação científica, monografias.

Palavras-chave:Escola Pública, Educação do Campo, Formação de professores, Prática Pedagógica.

TERRITÓRIO, TRABALHO E EDUCAÇÃO: A SIMBIOSE ENTRE CAMPO E CIDADE NA UNIVERSALIZAÇÃO DO TRABALHO COLETIVO.

Célia Regina Vendramini (Plano de estudos do Pós-Doutorado – Cornell University – Período de dez. 2012 a nov. 2013)

Resumo: O plano de estudos proposto para ser desenvolvido no estágio pós-doutoral, no Department of Development Sociology da Cornell University, em colaboração com a professora Wendy Wolford, insere-se no projeto de pesquisa que estamos desenvolvendo (2011 a 2013), com bolsa produtividade do CNPq. A pesquisa intitulada “A educação e a produção da vida no campo e na cidade: espaços de esperança?” tem como objetivo analisar experiências educativas desenvolvidas no contexto do campo (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra em Santa Catarina) e da cidade (Fórum do Maciço do Morro da Cruz em Florianópolis/SC) na atualidade, considerando seu potencial emancipador, a partir da ligação com movimentos ou organizações coletivas dos trabalhadores. No estágio no exterior pretendemos aprofundar os estudos sobre as categorias território, trabalho e educação; identificar a simbiose entre campo e cidade na universalização do trabalho coletivo; reconhecer formas diversas de organização de trabalhadores no meio rural e subúrbios urbanos; conhecer experiências educacionais e escolares desenvolvidas no meio rural. Para alcançar os objetivos apresentados, pretendemos conhecer áreas rurais e periferias urbanas no entorno de Ithaca (município onde está localizada a Cornell University), buscando elementos comuns e diferenças na produção da vida, bem como formas diversas de organização social. Considerando nossas pesquisas no Brasil sobre educação do campo, pretendemos ainda conhecer programas educacionais para a educação rural.

A EDUCAÇÃO E A PRODUÇÃO DA VIDA NO CAMPO E NA CIDADE: ESPAÇOS DE ESPERANÇA?

Célia Regina Vendramini. Coordenadora (Período de 2011 a 2013)

Resumo: Este projeto de pesquisa é desdobramento e tem por base os dados e resultados da pesquisa “Os processos formativos no contexto do MST: a relação entre trabalho e educação” (2008-2011) – Bolsa PQ. Objetivamos analisar experiências educativas desenvolvidas no contexto do campo (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra em Santa Catarina) e da cidade (Fórum do Maciço do Morro da Cruz em Florianópolis/SC) na atualidade, considerando seu potencial emancipador, a partir da ligação com movimentos ou organizações coletivas dos trabalhadores. Pretendemos contextualizar no tempo e no espaço o campo de pesquisa, em termos de produção da vida e de organização social; identificar a simbiose entre campo e cidade na universalização do trabalho coletivo; observar a forma e o conteúdo da aprendizagem em escolas situadas no campo e na cidade; e, por fim, avaliar experiências educacionais que se constituem em laboratórios sociais em busca de alternativas à educação e à sociedade presente. Para alcançar os objetivos apresentados, desenvolveremos pesquisa bibliográfica, com base na categoria espaço, procurando identificar espaços de esperança e educação, buscando averiguar experiências educacionais e escolares que se propõe a uma crítica do presente e apontem alternativas para o futuro. A pesquisa de campo compreenderá dois lócus de pesquisa: acampamentos e assentamentos do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra e comunidades abrangidas pelo Forum do Maciço do Morro da Cruz na periferia de Florianópolis.

A EXPERIÊNCIA COM OS COMPLEXOS DE ESTUDOS DA PEDAGOGIA SOCIALISTA RUSSA EM ESCOLAS DO MST

Sandra Luciana Dalmagro – Coordenadora(2011-2014)

Resumo: A pesquisa pretende investigar experiências em andamento com os complexos de estudo da Pedagogia Socialista junto ao Setor de Educação do MST. Esta questão emerge do vasto trabalho com educação escolar presente no MST, o qual bebe em várias pedagogias, dentre eles a Socialista e a Educação Popular. A experiência escolar do MST ao mesmo tempo em que herda e participa do amplo debate educacional, propõe-se a construir uma experiência com educação escolar que atenda os interesses dos trabalhadores sem terra. Estudos anteriores demonstram a vitalidade da proposta educacional do MST, mas apontam grandes limites para sua implementação bem como contradições internas. Os complexos, experiência da didática socialista no período da revolução russa, também tem sido objeto de distintas interpretações nos meios educacionais. Esta pesquisa visa investigar quais contribuições os complexos de estudo da Pedagogia Socialista experimentados pelo MST podem oferecer à construção de um novo conteúdo/formato escolar coerente com as necessidades da classe trabalhadora na atualidade. Para a realização deste estudo realizaremos análise de documentos das experiências investigadas, participação em encontros de formações, entrevistas com coordenadores e professores, entre outros. Palavras-chave: Escola; Complexos de Estudo; MST; Pedagogia Socialista.

AS DETERMINAÇÕES DA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DE EDUCAÇÃO INFANTIL EM SANTA CATARINA: TRABALHO, GÊNERO E FORMAÇÃO

Soraya Franzoni Conde.Coordenadora (Período 2013-2015)

Resumo: Este projeto busca refletir sobre as múltiplas determinações da formação continuada no Curso de Especialização em Docência na Educação Infantil da UFSC. Especificamente, pretende: mapear as trajetórias de trabalho, formação e vida dos ingressos no CEDEI; levantar os motivos de possíveis desistências no curso; elencar as múltiplas determinações das trajetórias dos egressos; identificar as principais dificuldades dos egressos no CEDEI; refletir sobre as condições de trabalho dos egressos e dificuldades de conciliação com estudos; refletir sobre a formação inicial dos egressos; refletir sobre a rotina de vida dos egressos; aprofundar a revisão bibliográfica acerca das categorias trabalho, formação e vida tendo em vista o profissional da educação infantil; contribuir para a superar as dificuldades da formação continuada entre professores trabalhadores da educação infantil; contribuir para o aprimoramento das práticas de educação infantil em Santa Catarina.

– TRAJETÓRIAS PROFISSIONAIS, MILITÂNCIA E AÇÃO COLETIVA

Bernardete Wrublevski Aued, Coordenadora. Aprovado pelo Departamento de Sociologia e Ciência Política, vigência 2007-2008.

Resumo: Ampliamos a reflexão sobre a generalidade que compõe trabalhos singulares desenvolvidos entre pessoas que têm uma profissão ou apenas uma ocupação. Hughes insiste numa certa igualdade e dignidade de trajetórias ocupacionais, de objetivos humildes, e pontos de intersecção e prestígio com as profissionais. Procuramos fazer da entrevista biográfica um método de trabalho estruturado, dentro do qual o sujeito singular possui uma ação coletiva; nesta forma de análise, as histórias singulares são exploradas porque revelam importantes subsídios de análise de uma época social. Formação, carreira profissional, subjetividade e ação coletiva, militância são objeto de reflexão e interpretação porque mobilizam conceitos e referências teóricas e permitem teorizar sobre o trabalho em suas manifestações atuais.

– FORÇAS DO TRABALHO QUE RESISTEM NO TEMPO (NOVAS FORMAS DE EXPANSÃO INDUSTRIAL DO PÓLO COUREIRO-CALÇADISTA EM CAMPINA GRANDE-PB E SÃO JOÃO BATISTA-SC. 2007-2008.

Bernardete Wrublevski Aued, coordenadora. Projeto aprovado pelo CNPq, bolsista produtividade, vigência 2007-2008.

Resumo: O movimento da nova industrialização de calçados no nordeste brasileiro é resultado da re-espacialização da atividade produtiva. Essa produção vem sofrendo constantes transformações e, em decorrência, implementam-se múltiplos processos como a “solução espacial, de produto e tecnológica/organizacional.” A nova expansão industrial calçadista decorre da crise no vale do Rio dos Sinos (RS) que passa por significativas mudanças em busca do rebaixamento do custo da força de trabalho, deslocando parte de sua produção, sobretudo para cidades como São João Batista, Santa catarina ou ainda, Santa Rita, Cajazeiras e Campina Grande, na Paraíba. Ao mesmo tempo em que se expande a indústria, constitui-se a força de trabalho, isto é, engendra-se o movimento geral onde atuam sapateiros em busca de alternativas aos problemas de sua época. Essa delimitação teórica permite compreender porque os sapateiros, submetidos às novas formas de expansão do capital, ao contrário da aparência, não se encontram em vias de extinção. Metodologicamente nos valemos do uso combinado de análise de longa duração privilegiando a dimensão histórico-espacial com entrevistas biográficas. As considerações preliminares expressam a pesquisa em andamento destacando duas ordens de problemáticas inter-relacionadas: re-alocação espacial e advento das forças do trabalho.

– MOVIMENTO EDUCATIVO EMANCIPATÓRIO: UMA REVISÃO DAS PESQUISAS SOBRE O MOVIMENTO DOS SEM TERRA NO CAMPO EDUCACIONAL.

Célia Regina Vendramini, Coordenadora.

Resumo: A pesquisa propõe a análise do potencial emancipatório das experiências sócio-educativas do MST e da relação entre trabalho e educação, com base nas teses e dissertações produzidas sobre o Movimento, na área da educação, tendo como fonte o Banco de Teses da CAPES. Dispomos de informações gerais sobre o conjunto de dissertações e teses produzidas na área educacional sobre as práticas sócio-educativas do Movimento dos Sem Terra. As pesquisas que se referem à relação entre trabalho, cooperação e educação são estudadas de forma mais aprofundada, procurando analisar o eixo que as articula e o sentido que atribuem ao projeto político e educativo do MST.

Para acessar o site com os resultados da Pesquisa, clique aqui!

– TRAJETÓRIAS DE EMPREENDEDORES EXCLUÍDOS DE PROCESSOS DE SELEÇÃO DE INCUBADORAS DE BASE TECNOLÓGICA.

Maria Soledad Etcheverry Orchard, coordenadora.

Resumo: A pesquisa aqui proposta constitui-se um desdobramento da investigação em curso desenvolvida pelo Professsor Bart Landry, junto a empreendedores ligados a incubadoras de base tecnológica. Com a nova proposta de investigação em pareceria, apresentada a seguir, procurar-se-á abranger um segmento dos empreendedores ainda não tratado, representado por aqueles que não obtiveram resposta positiva nos processos de seleção destas mesmas organizações. A oferta de vagas nas incubadoras de base tecnológica sempre é menor que sua demanda e muitos candidatos que concorrem com seus projetos, os quais consistem em propostas de empreendimentos empresariais de produtos e serviços técnico-científicos, não conseguem ser classificados. Isso faz com que provavelmente estes empreendedores assumam trajetórias autônomas com desafios maiores para implementação das suas iniciativas. Diante destas dificuldades é importante poder criar um diagnóstico exploratório sobre suas experiências, identificando quais estratégias de atuação são desenvolvidas para se inserir ou se manter no mercado e quais são suas percepções sobre as formas e possibilidades de desenvolvimento de empreendimentos neste setor tecnológico. Trata-se de colocar em evidência suas formas de agir e pensar , também, de mapear as redes nas quais estão inseridos estes atores sociais (empreendedores e empresas).

Palavras chave: empreendedor empreendimentos empresariais de base técnico-científica análise de redes trajetórias.

– MISSÃO CIVILIZATÓRIA E EXTREMISMO: UM CASO DE REALISMO POLÍTICO.

Ricardo Gaspar Müller, coordenador. Financiador(es): Universidade Federal de Santa Catarina – Remuneração / Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico.

Resumo: O projeto está vinculado à linha Ideias, Instituições e Práticas Políticas. Seu objetivo geral é reavaliar parte da obra política de E. P. Thompson, como referência para a análise de relações específicas entre questões teóricas e políticas contemporâneas. Avaliamos de que modo a categoria exterminismo responde às perguntas e proposições de Thompson, à sua inquietação, já que, de seu ponto de vista, essa categoria deveria expressar a lógica histórica e o processo de transformação das relações sociais – enfim, sua defesa da razão e da liberdade. Significa, portanto, apreender a relação entre realismo e utopia em seus projetos e realizações e, nesse movimento, definir uma nova relação entre teoria e prática e categorias de análise para uma reavaliação crítica do cenário político e intelectual contemporâneo. Para realizar essa proposta, confrontamos as condições definidas por Thompson para validar a categoria de exterminismo e a ideia de “Missão Civilizatória”, por meio da análise de alguns processos político-militares recentes, tendo como marcos os ataques de Setembro de 2001 e os movimentos de ameaças, preparação, invasão e ocupação do Iraque pelos EUA, configurando um caso de realismo político. Nesse sentido, como objetivos específicos, buscamos: 1. Identificar e analisar as doutrinas de legitimação desses movimentos em termos das premissas de “Missão Civilizatória”. 2. Identificar, comparar e analisar os conteúdos e premissas dessas doutrinas e confrontar conceitos como fundamentalismo, cultura, civilização e ‘choque de civilizações”. 3. Selecionar, analisar e discutir tópicos relacionados à prática e ao pensamento de E. P.Thompson como teórico e político. 4. Destacar as relações entre a proposta metodológica de Thompson (como a relação entre teoria e evidência, base de sua “lógica histórica”; a centralidade da ontologia; o real e seus referentes e os conceitos como categorias históricas) e seu engajamento político.

OS PROCESSOS FORMATIVOS NO CONTEXTO DO MST: a relação entre trabalho e educação.

Célia Regina Vendramini, Coordenadora. Período: 2008 a 2010. Instituição financiadora: CNPq

Resumo: Apresentamos o relatório final da pesquisa “OS PROCESSOS FORMATIVOS NO CONTEXTO DO MST: a relação entre trabalho e educação”, desenvolvida no período de 2008 a 2010, com apoio financeiro do CNPq (Bolsa de Produtividade). Esta pesquisa teve como objetivo analisar os processos formativos desenvolvidos pelo Movimento dos Sem Terra, no contexto da relação trabalho e educação. Procuramos analisar as conexões estabelecidas entre as proposições educacionais e as formas de organização e produção material da vida dos acampamentos e assentamentos de reforma agrária. Combinamos a pesquisa bibliográfica (sobre a relação trabalho e educação), a documental (cadernos e boletins do MST que tratam da escola, do trabalho e da cooperação) e a pesquisa de campo (questionários aplicados a educadores do MST, entrevistas a lideranças do setor de educação, entrevistas a egressos do curso Pedagogia da Terra e pesquisa em um acampamento do MST). Os resultados da pesquisa são explicitados ao longo deste relatório. A pesquisa gerou, além de publicações e socializações em eventos acadêmicos no Brasil e no exterior, orientações em nível de graduação, de especialização, de mestrado, de doutorado e de pós-doutorado.

TRABALHO INFANTIL NO BRASIL E EM SANTA CATARINA.

Bernardete Wrublevski Aued, Coordenadora. Período: 2007 a 2009

Resumo: O relatório apresenta os resultados da pesquisa na forma de texto, fotografias, desenhos e redação de alunos das escolas pesquisadas. Gerou um livro coletivo, uma monografia no curso de especialização em Educação do Campo e Desenvolvimento Territorial, duas dissertações de mestrado, uma tese de doutorado, dois relatórios de iniciação científica.

ASSENTAMENTOS DO MST E IDENTIDADE COLETIVA.

Bernardete Wrublevski Aued, Coordenadora. Período: 2001 a 2003. Instituição financiadora: Plano Regional Sul CNPq/FUNCITEC

Resumo: Este é um subprojeto da pesquisa: Agricultura familiar: reestruturação social e capacitação humana, coordenada pela professora Maria Ignês Paulilo. A pesquisa “Assentamentos do MST e identidade coletiva” compreendeu o estudo das origens sociais do Movimento dos Sem Terra em Santa Catarina; a sua trajetória na constituição dos acampamentos e assentamentos; suas possibilidades reais de produção e seu sentido político.