TMT – Núcleo de Estudos sobre as Transformações no Mundo do Trabalho
  • III JORNADA UNIVERSITÁRIA EM DEFESA DA REFORMA AGRÁRIA

    Publicado em 14/04/2016 às 18:57

    CARTA DA III JORNADA UNIVERSITÁRIA EM DEFESA DA REFORMA AGRÁRIA – UFSC / UDESC

    Florianópolis, 27 de abril de 2016.
    Neste abril de 2016, nos encontramos mais uma vez para discutir, refletir e apoiar as lutas por Reforma Agrária e por democracia no nosso país durante a III Jornada Universitária em defesa da Reforma Agrária.

    Clique aqui para continuar a leitura.

    ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

     

    CARTA DE DEFESA DO PRONERA NOS  18 ANOS DO  PROGRAMA NACIONAL E 16 ANOS NA UFSC

    Florianópolis, 27 de abril de 2016.

    Este ano comemoramos os 18 anos do Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária (PRONERA). Esse Programa é fruto dos processos da organização e luta por Reforma Agrária dos trabalhadores e trabalhadoras do campo, organizados em movimentos sociais, em todo território brasileiro.

    Clique aqui para continuar a leitura.

     

    ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

     

    No mês de abril, compondo a jornada nacional de lutas por reforma agrária, diversas Universidades brasileiras estarão desenvolvendo atividades, debates, exposições, grupos de estudos sobre a temática.

    Em Santa Catarina, a UFSC e a UDESC estão organizando as atividades da III Jornada Universitária em defesa da Reforma Agrária.

    O TMT está participando da organização junto com outros Grupos de Estudo e Pesquisas da UFSC e da UDESC e com o MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra). Todas as atividades serão gratuitas e abertas ao público em geral.

    Convidamos todos a se engajarem nas atividades e nas lutas sociais por Reforma Agrária!

    CARTAZ_JORNADA_INTERNET 12957576_1062264480486156_4568197355597151292_o 2


  • PALESTRA: ESTADO SOCIAL, CRISE E DESEMPREGO

    Publicado em 05/09/2015 às 12:51

    palestra


  • SEMINÁRIO: TEORIA DAS REVOLUÇÕES: REVOLUÇÃO DOS CRAVOS, CONDIÇÕES DE TRABALHO E VIDA EM PORTUGAL.

    Publicado em 05/09/2015 às 12:35

    Revolução dos Cravos

    Profa. Dra. Raquel Varela 

    (Instituto de História Contemporânea da Faculdade de Ciências Humanas e Sociais

    da Universidade Nova de Lisboa, Portugal).  

    LOCAL: UFSC CENTRO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS (CFH)

    DATA: 14/SET/2015

    SALA: AUDITÓRIO DO CFH

     

    SEGUNDA

    Período matutino:

    Horário: 9:00 às 12:00 horas

    Período vespertino:

    Horário: 14:00 às 17:00 horas

    Inscrições no evento.

     

    Organização:

    Programa de Pós-Graduação em Serviço Social (PPGSS/UFSC)

    Programa de Pós-Graduação em Sociología Política

    (PPGSP/UFSC)

    Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE/UFSC)

    Núcleo de Estudos e Pesquisas Trabalho e Questão Social na

    América Latina (NEPTQSAL-Serviço Social).

    Grupo de Estudos e Pesquisa em Ontologia Crítica (GEPOC –

    Educação)

    Núcleo de Estudos sobre as Transformações do Mundo do

    Trabalho (TMT – Educação e Sociologia).

    Laboratório de Sociologia do Trabalho (LASTRO)

    ACESSAR BANNER DA PALESTRA


  • PPGE divulga comunicado sobre cortes no orçamento da pós-graduação

    Publicado em 19/08/2015 às 10:49

    O Programa de Pós-graduação em Educação divulgou em seu site um comunicado sobre a situação atual devido aos cortes orçamentários na educação pública, que atingem também a pós-graduação.

    Abaixo, reproduzimos o comunicado (disponível em http://ppge.ufsc.br/2015/07/22/informes-sobre-cortes-orcamentarios-da-capes/):

    Informes sobre cortes orçamentários da CAPES

    Sobre o início do semestre letivo no PPGE:

    O PPGE sofreu corte de 75% dos recursos previstos para este ano no PROAP. Os impactos dessa medida já estão sendo sentidos nas dificuldades de agendamento de defesas e afetarão as atividades de pesquisa, intercâmbios, projetos integrados e a curto e médio prazo, na produção científica do Programa.

    Há uma greve nacional de docentes, de TAEs. Várias universidades estão discutindo a inviabilidade de se começar o segundo semestre nestas condições. Na UFSC a situação é mais grave, pois as bibliotecas, o restaurante universitário e algumas secretarias estão fechadas.

    Diante deste quadro, os professores, abaixo relacionados, entendem que não há condições adequadas para se começar o segundo semestre. Por essa razão, estes professores informam que não iniciarão as aulas no PPGE como previsto no calendário normal por considerarem que as dificuldades enfrentadas com os cortes evidenciam que a situação não é de normalidade. Os demais professores não informaram sobre mudanças na programação de suas disciplinas.

    Profª  Adriana D’Agostini

    Profª Célia Regina Vendramini

    Profª Eneida Oto Shiroma

    Profª Olinda Evangelista

    Profª Rosalba Maria Cardoso Garcia

    Profª Soraya Franzoni Conde

    ——————————————-

    Protesto das associações contra o corte de 75% dos recursos para a Pós-Graduação

    Os Programas de Pós-Graduação da UFSC foram surpreendidos pelo Ofício Circular nº 13/2015-CDS/CGSI/DPB/CAPES informando sobre o corte de 75% dos recursos previstos para o PROAP/UFSC.

    Os cortes comprometem o desenvolvimento das atividades de pesquisa da pós-graduação e refletir-se-ão, a curto e médio prazo, na produção científica dos Programas. Impactam especialmente em passagens e diárias para bancas de defesa, participação de docentes e discentes em eventos científicos, visitas internacionais à UFSC, apoio a publicações, entre outros. Impactam igualmente na sociedade considerando os inúmeros grupos sociais com os quais temos projetos em andamento e que, certamente, sentirão a descontinuidade ou o “encolhimento” das ações de pesquisa já que grande parte delas se realizam e dialogam com as escolas e suas práticas pedagógicas.

    A PROPG tem proposto medidas paliativas, emergenciais, aos Programas da UFSC visando minimizar o impacto dos cortes. Claro está que 2015 será um ano atípico e muitas das atividades planejadas por docentes e discentes serão prejudicadas ou inviabilizadas.

    A indicação de que as Bancas de Mestrado e Doutorado na UFSC possam efetivar-se por meio de sistemas de interação vídeo e áudio em tempo real é mais um risco, uma vez que nem todos os espaços institucionais contam com a infraestrutura necessária para tal demanda, tanto técnica como de pessoal para esse fim que não estão preparados para atender simultaneamente as demandas dos vários Programas da UFSC. Somente do PPGE estão previstas mais de 50 bancas para o segundo semestre que, caso os cortes não sejam revistos, deixarão de ocorrer presencialmente demandando uma eficiência permanente dos espaços que dispõem de equipamentos para videoconferência e suas dinâmicas operacionais visando garantir a qualidade do processo de avaliação.

    Salientamos que embora a opção de participação de bancas a distância possa ainda ser viabilizada tecnicamente na UFSC outras perdas advirão desta medida. A experiência pedagógica viabilizada por meio das Bancas não beneficia apenas o aluno em fase de conclusão de uma trajetória acadêmica, qualifica um grupo de pesquisa, beneficia também alunos interessados na temática, uma vez que os Professores convidados realizam atividades paralelas como palestras, co-orientações em projetos e atividades formativas de toda ordem.

    A Anped e várias associações científicas enviaram manifestações repudiando os cortes na educação pública e solicitando às autoridades a revisão da medida (cf. manifestações abaixo).

    Em agosto, a Lei Orçamentária Anual para 2016, será encaminhada ao Congresso. Vivemos, portanto, um momento crucial para resistir, unir forças para pressionar pela revisão dos cortes na pós-graduação e garantir que a educação pública não seja negligenciada no orçamento do próximo ano.

    O PPGE/UFSC repudia os cortes feitos à pós-graduação e à educação pública e se soma aos que se manifestam contrários às precarizações das condições de ensino e pesquisa.

    Manifesto da ANPEd sobre cortes de recursos para pós-graduação

    Carta da 67a SBPC à Presidência da República

    Nota pública do Fórum de Ciências Humanas e Sociais Aplicadas sobre o atraso e a redução dos recursos aos Programas de Pós-Graduação brasileiros.

    Carta da ANPOF enviada à CAPES sobre recursos da Pós-Graduação

    A Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação (COMPÓS) se manifesta sobre as restrições orçamentárias para a pós-graduação.

    A Associação Brasileira de Ciência Política (ABCP) se manifesta em relação aos cortes orçamentários para a educação superior.

    Carta aberta da área de Antropologia/Arqueologia da CAPES em defesa da Pós-Graduação no Brasil.

    Carta da ANPOF enviada à CAPES sobre recursos da Pós-Graduação

    ——————————————-

    Seguem informações sobre os cortes orçamentários da CAPES.

    Memorando Circular nº 21/2015/PROPG

    Nota Pública FOPROP

    Ofício FOPROP AO MINISTRO DA EDUCAÇÃO

    Ofício SBPC – Cortes


  • SEMINÁRIO DE PESQUISA “Juventude Pobre e Escolarização: relações com a escola, o trabalho e a cultura em territórios de precariedade”

    Publicado em 16/04/2015 às 11:19

     

    ATENÇÃO: O SEMINÁRIO FOI CANCELADO DEVIDO À GREVE DOS PROFESSORES DAS REDES PÚBLICAS ESTADUAL E MUNICIPAL.

    O TMT apoia os professores e suas reivindicações, e tão logo haja condições, redefinirá as ações conjuntas com as escolas.

     

    UFSC – Universidade Federal de Santa Catarina

    CED – Centro de Ciências da Educação

    CFH – Centro de Filosofia e Ciências Humanas

    TMT – Núcleo de Estudos sobre as Transformações no Mundo do Trabalho

     

     SEMINÁRIO DE PESQUISA

    “Juventude Pobre e Escolarização: relações com a escola, o trabalho e a cultura em territórios de precariedade”

    Dia: 20 de maio de 2015

    Local: Auditório da Reitoria da UFSC.

    Programação:

    – Abertura: 09h

    – Apresentação dos dados da pesquisa por parte da equipe de pesquisa do TMT: 09h30min às 12h

    – Almoço: 12h às 13h30min

    Debate sobre a pesquisa com as escolas envolvidas: 13h30min às 15h30min

    – Coffee Break: 15h30min às 16h

    – Encaminhamentos finais: 16h às 17h30min

     

    APOIO: CED/DEPARTAMENTO DE METODOLOGIA DE ENSINO